Loja virtual

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Carnaval com Vinhos Resfrescantes

O Carnaval já está aí, e mesmo com tantas incertezas no horizonte do país vamos nos dar uma folguinha para aproveitar a folia (para aqueles que curtem a farra) ou mesmo relaxar. 

Como o calor está forte, as nossas deliciosas dicas de hoje são para refrescar. Mas, mesmo assim, lembre-se e preciso hidratar sempre!!!


E já que estamos em clima de feriado... Como você está se sentindo em relação ao estoque em sua adega? Ela está preparada para o carnaval?



Para resolver este probleminha... algumas dicas:

Um branquinho fresco, de boa estrutura e muito gastronômico.



Para quem quer aproveitar com a turma, sem gastar muito.


Com seu frescor encantador, é sempre uma ótima pedida para sair do lugar comum. AH! Fica uma delicia com comida japonesa.


Elegante e delicioso. Para fazer bonito!


O delicioso drink porto/tônica não poderia ficar de fora, não é? Para relembrar a receita clique AQUI.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Cozinha e Seus Ingredientes Indispensáveis

Em cerca de uma década a cozinha passou de pouco usada a indispensável. A busca por qualidade de vida, a ascensão econômica e a já muito concreta realização profissional feminina resultaram no resgate desse ambiente que foi relegado por décadas.

Nota-se isso inclusive na Arquitetura. O cômodo passou a ser destaque e não apenas acessório e abundam apartamentos e casas cujas cozinhas são espaçosas e feitas para reunir muitas pessoas em torno da comida.

Pessoas de todas as idades passaram a cozinhar e dedicar-se àquilo que hoje é tido como prazer e não uma tarefa cansativa e solitária praticada em um ambiente sem graça e isolado.

Apesar disso tudo as pessoas nas grandes cidades continuam perdendo tempo excessivo no trânsito, trabalhando e estudando mais. O resultado é que o tempo dedicado à cozinha no dia a dia pode ser bastante curto ou até impraticável. Por isso é muito importante ter ingredientes coringa à disposição para a maior parte dos dias da semana, quando não se pode "dar um pulinho" no supermercado ou têm-se apenas uma ou duas horas para preparar o alimento.

Veja algumas dicas do que ter em casa. São ingredientes que duram muito e podem ser preparados de inúmeras formas. Também seguem dicas de congelamento para aqueles dias que a gente chega tarde e quer comer alguma coisa rápida e prática.

Ingredientes Secos

- Arroz arbóreo
Esse arroz dá um toque especial em qualquer refeição. Risottos são super versáteis e você pode colocar neles qualquer tipo de ingrediente, desde sobras de carnes até legumes, cogumelos ou queijos. Também fica delicioso apenas com manteiga, como acompanhamento.
Esse arroz pode ser semi cozido e congelado em porções individuais. Isso facilita o preparo nos dias mais corridos.

- Cogumelos secos
Práticos, podem ser hidratados rapidamente no microondas, com água quente (para ser mais rápido) ou água fria. Nunca jogue fora a água da hidratação dos cogumelos! Ela fica incrível no Risotto, em massas ou para cozinhar carnes e vegetais. Congele-a em formas de gelo e depois coloque os cubos juntos em um saco plástico. Então basta pegar a quantidade desejada para o uso naquela ocasião. Outra ótima forma de aproveitar muito bem os cogumelos desidratados é batê-los no liquidificador com a própria água da hidratação e congelar em pequenas porções. Servem para fazer molhos, tortas e o que mais a sua imaginação mandar.

- Temperos, ervas secas, sais
Duram muito e dão um toque profissional aos pratos. Tenha de tudo e use e abuse da sua imaginação na hora de cozinhar. Algumas opções são alho frito, em lascas e em pó, salsicha e cebolinha, molho chimichurri, vinagrete (fica delicioso em sopas), cardamomo (lembre-se de abrir um pouco as bagas antes de usar), sais como o negro, rosa, etc. 

- Macarrão instantâneo
Não é tipo Miojo, mas quase. São pacotes com 500g de macarrão sem aquele tempero suspeito. Não são saudáveis, mas quebram o galho quando se tem pouco tempo e muita fome. Use para fazer sopas ou com molhos à base de shoyo, carnes e/ou vegetais.

- Farinha de milho instantânea
Do tipo Polentina ou Milharina. Perfeita para fazer polenta de forma rápida. E polenta é uma comida pra lá de prática. Você pode cobrir ou rechear com praticamente qualquer coisa e - toque de mestre - gratinar com muito queijo em cima. Em cerca de meia hora você tem um prato muito sofisticado (tente os cogumelos ali de cima com tomates pelados).

Enlatados

- Tomate Pelado
Prático, rápido, perfeito. Basta abrir a lata, cortar ou bater. Junte algumas ervas secas, alho e manjericão e terá um molho incrível para macarrão. Bata no liquidificador com um pedaço de cebola, algumas ervas, sal e azeite de oliva e tenha uma sopa fria deliciosa.

- Azeites
Tenha um extra virgem para usar cru e outro mais comum para cozinhar. Compre uma embalagem maior e divida em pequenas garrafas colocando nelas diferentes tipos de ervas, alho, etc. Use para finalizar os pratos.

- Milho
Ele não precisa ficar restrito às saladas. Bata no liquidificador, acrescente creme de leite e queijo para fazer um belo creme, ou acrescente bastante água para fazer polenta. 

Vegetais

- Batatas
Tanto a inglesa quanto a doce duram muito. A inglesa pode ser deixada na parte menos fria da geladeira. A doce deve ser conservada fora da geladeira. Se você deseja uma batata bem doce, deixe-a tomando sol por vários dias. A baroa dura menos, mas pode ser pré cozida (não deixe que cozinhe totalmente para que possa ser finalizada posteriormente) e congelada em pequenas porções.
Batatas são ingredientes que podem ser usados de muitas formas e em muitos métodos de cocção. Podem ser assadas, cozidas ou fritas, servem como prato principal ou acompanhamento. Batatas doces são particularmente práticas. Corte-as na linha do comprimento com a ajuda de um mandolim, para ficarem bem finas. Asse-as em uma forma grande, sem sobrepor e sem sal ou temperos (esses devem ser colocados no momento de servir). Você pode fazer uma enorme porção de uma só vez, guardar em uma lata bem tampada e pronto! Acompanhamento incrível garantido ou um petisco pouco calórico.

- Gengibre
Deixe fora da geladeira. Use ralado ou picado em carnes brancas. Complementa muito bem o cardamomo nessas carnes.

- Alho
Dura muito e é indispensável. Além de temperar pode também acompanhar muito bem carnes assadas. Corte a cabeça do alho de forma a aparecer somente a ponta dos dentes. Sem tirar a casca, salpique sal e um fio de azeite. Leve ao forno junto com o assado que já esteja preparando por quinze minutos ou até que murche no exterior. Sirva sem tirar da casca. Agora você tem um assado e um acompanhamento incrível!

Congelados

- Carnes
Corte previamente porções individuais. Congele sobre uma tábua de carnes forrada com plástico grosso. Depois de congeladas coloque-as juntas em um pote ou saco plástico. Se quer ainda mais praticidade, tempere-as antes de congelar. Só não coloque sal para que não percam a umidade no momento do preparo. Porções individuais são fáceis de descongelar, econômicas e práticas.

- Massas
Quando se aventurar e for fazer macarrão, nhoque ou pizza, faça sempre um pouco a mais e congele sem molhos ou coberturas. Aí quando você não estiver a fim de cozinhar mas estiver morrendo de vontade de comer algo que você mesmo fez a massa estará te esperando. A massa de pizza deve ser congelada pré assada e o macarrão, depois de bem seco.

- Vegetais
pré cozinhe e congele cenoura, couve-flor, mandioca e outros vegetais que demandam muito tempo de cozimento. As porções devem ser pequenas e não devem ser totalmente cozidas. Dessa forma você termina o processo de cozimento no momento do preparo e eles ficam com o sabor de quem foi preparado na hora. Couve e semelhantes também podem ser congelados crus já picados e prontos para o uso. Dessa forma você consegue comer bem mesmo tendo feito feira há dias.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Vinho Branco e o Indispensável Balde de Gelo

Veja esse vídeo com a Luiza falando sobre a super utilidade do balde de gelo para vinhos brancos.
E aproveite a veja nosso lindíssimo e exclusivo balde (cooler) clicando no botão abaixo do vídeo.

          

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Entre taças, Jagaroths e Douglas Adams

Por Gilmara Vesolli - sommelière semi nerd whovian mochileira


Douglas Adams foi um gênio que escreveu a "trilogia de cinco livros" começada com o Guia do Mochileiro das Galáxias (falo um pouco sobre ele aqui).

Por outro lado Doctor Who é a série de maior duração de todos os tempos, tendo recentemente completado 50 anos de uma existência gloriosa. 

Produzidos em terras britânicas, ambos possuem o indefectível humor inglês e um séquito de milhões de fãs espalhados pelo mundo.

É impossível assistir ao Docta Who* e não lembrar de Douglas Adams e seus personagens incrivelmente carismáticos, possivelmente loucos e definitivamente imortais. E vice-versa.

Passei um longo tempo perguntando-me "oh my god! como assim que esse roteiro não foi escrito pelo Adams?!" quando na verdade parte da semelhança se explica porque de fato Douglas Adams participou de muita coisa na série mais incrível de todos os tempos. E uma das participações acaba de virar livro.

O livro é uma mistura muito maluca - como não podia deixar de ser - de autores, roteiro e série. Quem escreveu não foi Douglas Adams, que infelizmente já está morto, mas é indelével a sua pegada, como se o próprio tivesse pego uma carona na TARDIS movida pelo Gerador de Improbabilidades, voltado ao nosso mundo e guiado maravilhosamente o autor de Cidade da Morte.

A História, que se tornou o episódio de Doctor Who mais visto de todos os tempos, passa-se em uma Paris de 1979. E obviamente envolve vinho.

São 43 menções à palavra "vinho" além de 18 "champagne" e uma curiosa descrição de como Dom Pérignon lidou com a descoberta do mais famoso espumante.

Porque é impossível falar da França sem mencionar vinho, ainda que ele esteja entre dobras de espaço-tempo, sendo bebido em latas de atum ou por alienígenas semelhantes à lulas com bom gosto.

A cena em que Romanadvoratrelunda - Romana, para os íntimos - se embriaga de vinho, experimentado pela primeira vez na vida, é especialmente divertida.

Mas ainda mais divertida é a descrição dos parisienses e seu comportamento, as sucessivas viagens, literais e não literais mencionando arte, onde a Monalisa tem um papel de destaque.

Cidade da Morte é um livro para quem gosta de vinho, quem gosta de Física, Arte, História, para quem estava morrendo de saudades de alguma coisa que o mundo perdeu em 2009, quando Douglas Adams nos deixou para retornar não somente à poeira de estrelas, mas voltar a ser uma galáxia toda. E ninguém melhor que o Doctor Who para trazê-lo de volta.



*(tentativa literária possivelmente mal sucedida de imitar o sotaque inglês)

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Curiosidades Sobre o Vinho

Luiza Martini fala nesse vídeo sobre algumas curiosidades relacionadas ao vinho. Se divirta e aprenda com ela!

          

Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...